como conduzir a nossa dieta

 Em Alimentação, PT, slow living

Ou como a condução de um carro e a nossa alimentação andam de mãos dadas. Com este post quero vos mostrar como conduzir um carro e conduzir a nossa dieta funcionam com os mesmos critérios.

Para quem já ouviu os dois episódios sobre mindful eating do officina (se não ouviram podem ouvir aqui e aqui, ou podem ouvir através do iTunes ou do SoundCloud. (Procurem por officina podcast). Eu acredito no que diz respeito à alimentação cada um de nós deve definir as suas próprias regras.

Existem umas regras base, que nos ajudam a tomar melhores ou piores decisões, mas no final do dia, as escolhas e a responsabilidade daquilo comemos é toda nossa.

Normalmente pesquisamos, experimentamos umas receitas, percebemos como é o que nosso corpo reage a certos alimentos e combinações, vemos se este tipo de alimentação está dentro do nosso orçamento a longo prazo, e alinhado com os nosso princípios. Aspectos não muito diferentes na hora de escolher um carro…

A nossa dieta

e a condução de um carro…

Sabemos que se escolhermos um carro antigo, de qualidade duvidável, é provável que isso nos cause alguma ansiedade. E que passado uns tempos o tenhamos de trocar, ou levar ao mecânico.

 

O mesmo se passa com a alimentação. Quando escolhemos alimentos de qualidade duvidável, pouco nutritivos, passado algum tempo o nosso corpo vai pedir-nos alimentos verdadeiros, e temos de ir ao médico.

No lado oposto, se comprarmos um carro novo, ou muito bem cuidado, sabemos que à partida vamos investir mais, mas que isso irá trazer-nos mais segurança a longo prazo.

Primeiro escolhemos o modelo que gostamos, tendo em conta o orçamento que temos, se gasta pouco, se polui muito, se precisa de muita manutenção, se é fácil cuidar no dia a dia. Dentro das nossas opções, escolhemos um modelo e experimentamos, vamos dar uma volta para ver se gostamos da condução, e muito rapidamente percebemos se o carro é bom para nós ou não. Se não for, experimentamos outros modelos até encontrar o carro certo.

Se calhar nesta fase de experimentação vamos andar ansiosos, mas quando finalmente encontramos o carro certo, sabemos que é o certo e pronto.

Não pensamos em todo o valor que o carro tem cada vez que o usamos, quanto gasta, ou se é seguro. Usamos e pronto. E com o tempo, pelo menos no que me diz respeito, até começo a tratá-lo com menos cuidado. Continuo a valorizar muito o meu carrinho, mas não estou sempre a pensar nele, nem ansiosa porque tenho de conduzir, ou a pensar se vou ter um acidente…

Conseguem ver aqui a relação alimentação-condução?

A nossa dieta

e os alimentos certos para nós

Escolhemos um tipo de alimentação que nos faz sentido, que deixa o nosso corpo e a nossa mente felizes, que está ajustado à nossa carteira, e à nossa rotina. E depois mantemos. Não estamos em todas as refeições a pensar se é o alimento certo, se estamos a comer biológico, se tem demasiado açúcar. Tal como quando estamos a conduzir e travamos a fundo, não ficamos preocupados se estragámos o travões, porque uma das funções do carro é travar.

Comer é como conduzir, de vez em quando, vamos subir passeios e passar com os pneus em buracos porque estávamos distraídos, furar um pneu, ou até riscar a pintura a estacionar, mas no final do dia, o carro continua a cumprir o seu papel, tal como o nosso corpo.

E se ficamos demasiado obcecados em melhorar o carro, tal como muitos de nós ficamos com a alimentação, então é provável que sejamos “do tuning”.  Primeiro as jantes, depois o sistema de som, depois os estofos, depois a potência do motor….Depois o suplemento x, o tratamento de algas da Coreia, a água vitaminada com ph Y..e por aí fora.

Que a nossa alimentação seja tão simples e descomplicada como conduzir um carro.

Fez-vos sentido esta analogia? Partilhem a vossa opinião nos comentários

claudiasignature

Posts Recentes
Mostrar 6 comentários
  • Joana Honorato
    Responder

    Adorei este último post sobre a alimentação.
    Tenho sempre a sensação que temos que estar sempre a seguir normas e padrões que de certa forma nos causam ainda mais ansiedade em relação à comida que temos no prato.
    E obviamente que o nosso corpo ressente tudo isso ..
    Obrigada.
    Joana Honorato

    • Cláudia
      Responder

      Obrigada eu Joana, fico feliz que sintas a mensagem. Concordo inteiramente com o que dizes. Um grande beijinho

  • Joaninha
    Responder

    Muito obrigada, Cláudia, mesmo! Deste-me muito em que pensar e bastante para reflectir. Agradeço imenso por isso. A verdade é que, ãs vezes, preocuparmo-nos demasiado com o carro, impede-nos de disfrutar da viagem e do que ele tem para nos oferecer. Por isso, gostei mesmo muito destas palavras, pois, fizeram imenso sentido para mim.
    Um beijo enorme, e por mais mensagens assim ????????

    • Cláudia
      Responder

      É mesmo isso, preocupamo-nos demasiado com o carro. Adorei! Um grande beijinho

  • Ligia
    Responder

    Excelente analogia 😉 mesmo mesmo isso.
    Obrigada Claudia… A ver se tenho mais cuidado pra nao me tornar uma “tuning” da alimentacao 😉 xx

Deixar um Comentário

0